O 64º Conselho do Sindicato Nacional dos Docentes de Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN) teve início na manhã desta quinta-feira, 11, na sede da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (Adunb). Com o “Em defesa da educação pública, dos direitos sociais e das liberdades democráticas”, a abertura foi marcada por discursos que reafirmaram as necessidades de ampliar a luta pelos direitos sociais, diante dos acirrados ataques à educação e à previdência social.

Ao declarar a abertura do evento, Antonio Gonçalves, presidente do ANDES-SN, destacou os principais objetivos do Conad, que é realizado em uma conjuntura de ataques e desmonte dos direitos sociais. “O motivo principal de estarmos aqui é pensar a política do sindicato em um momento em que a extrema direita, que está atacando fortemente a nossa classe, governa o país. O Andes-SN tem se mantido firme, na luta e na direção correta contra a MP 873, contra os contingenciamentos e todos os ataques que estão sendo realizados por esse governo. Temos muitas tarefas aqui pois a classe trabalhadora não aguenta mais traição e tampouco aguenta ter os direitos colocados na mesa, para servir de barganha nessa disputa’’, iniciou Antonio, lembrando que o Conad também traz para os presentes a função de fazer apreciação das contas, finanças e balanço do último período e, assim, atualizar o plano de lutas da instituição.

Luís Antônio Pasquetti, anfitrião do evento e presidente da Adunb, explicou que a importância central do 64º Conad é o debate do grave momento vivido pelo trabalhador. “A educação pública brasileira tem sofrido ataques contundentes desde o início do governo. O 64º Conad é um momento simbólico pois estamos acumulando articulações e resistindo a esses ataques. Esse encontro nos anima no sentido de reafirmar a luta do movimento sindical”, afirmou Pasquetti.

Paulo César Marques, representante da reitoria da UnB, pontuou a alegria em voltar a sediar um evento do ANDES-SN. “Quero manifestar a alegria de ver a Adunb sediar um evento do ANDES Sindicato Nacional. A Adunb é o sindicato e o sindicato é a Adunb. A realização desse Conad aqui reveste-se de uma importância singular para a atual situação. Fazer a atualização do plano de lutas neste encontro em Brasília, fortalece a nossa aliança e nos dá mais força para seguir’’, disse.

Maurício Alves da Silva, 1º vice-presidente da Regional Pantanal, lembrou que as deliberações do Conad vão nortear as lutas da categoria. “Nós precisamos saber para onde vamos. Esperamos sair daqui com um apontamento para seguirmos neste momento tão difícil para a classe trabalhadora. Estamos juntos em defesa da educação pública, dos direitos sociais e da liberdade democrática, que é o tema central desse Conad”.

E o grave momento vivido pelo trabalhador brasileiro também foi destaque na fala de Rosilene Corrêa, da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE). “Estamos em uma fase acirrada da nossa política. Com a aprovação, em primeiro turno, da Reforma que vai incidir sobre todos os trabalhadores e trabalhadoras, as condições de trabalho nas universidades públicas será ainda mais deterioradas e, consequentemente, as condições do ensino serão prejudicadas’’, enfatizou.

Paulo Barela, representante da CSP-Conlutas, abordou o grave momento enfrentado pelos trabalhadores e trabalhadoras e principalmente pelos profissionais da educação que sofrem as consequências de um governo de extrema direita. “Juntos, a partir dos debates feitos aqui, estamos construindo condições necessárias junto à classe trabalhadora, para acabar com os interesses da burguesia “, falou Barela, reforçando a importância da luta e da imediata necessidade de construção de uma nova greve geral no país.

Composição da Mesa

A mesa da plenária de abertura foi composta pelos seguintes: Antonio Gonçalves – Presidente do ANDES-SN; Eblin Faragi – Secretária-geral do ANDES-SN; Raquel Dias – 1ª tesoureira do ANDES-SN; Maurício Alves da Silva – 1º vice-presidente da Regional Pantanal; Além do presidente da Adunb – Luis Antônio Pasquetti, Paulo Cesar Marques – representante da Reitoria da UnB; Paulo Barela – representante da CSP-Conlutas; Fernando Maranhão – representante da Fasubra; Davi Lobão – representante do SINASEFE; Daniela Neves – representante da CEFEs; Paulo Lino – SINAL; Adriana Melo – representando a ANPAE; Rosilene Corrêa – representante da CNTE e Lima, representando o SINDFUB.

Fonte: ANDES-SN