ANDESUFSC luta pela segurança no campus Trindade

2018-11-29T10:50:33+00:0029 de novembro de 2018|

A universidade é um espaço público. Ter uma infraestrutura que garanta o trânsito seguro de professores, servidores, alunos e integrantes da comunidade em geral é, por si só, uma questão política. A insegurança e os episódios de violência institucional têm sido, justamente, dois grandes problemas no campus Reitor João David Ferreira Lima da UFSC.

No dia 1º de novembro, a polícia militar realizou uma ação violenta e repressiva contra estudantes que realizavam uma atividade cultural dentro da instituição. A conduta abusiva dos policiais é reflexo direto do aumento do autoritarismo no país.

O episódio foi a epítome de uma série de problemas de segurança dentro do campus, fruto direto do sucateamento do setor na universidade.

DESCASO COM A SEGURANÇA TEM SIDO REGRA NA UNIVERSIDADE

Nos últimos tempos, houve um aumento na precarização das condições de trabalho da equipe responsável por garantir a integridade física de todos que circulam pelas instalações da UFSC. O descaso e as terceirizações são diretamente responsáveis pela situação de insegurança generalizada, amplificada por ações policiais arbitrárias como a que aconteceu no início de novembro.

“Nossa seção sindical repudia veementemente qualquer intervenção judicial ou policial dentro do espaço da universidade. Qualquer tentativa de cercear autonomia universitária e a liberdade de manifestação é inaceitável no estado democrático de direito. Já estamos cobrando respostas da Administração Central e uma apuração completa para que esse tipo de episódio não se repita”, afirmou a presidente da ANDESUFSC, Adriana D’Agostini.

MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA TAMBÉM SÃO PAUTA DA SEÇÃO SINDICAL

Além da cobrança de uma apuração das ações policiais abusivas na universidade, a ANDESUFSC também reivindica melhorias nas estruturas do campus, para que possam garantir mais segurança para quem usufrui do espaço acadêmico, sem excluir a comunidade externa. Afinal, o papel social da universidade pública é agregador.

Por isso, a seção sindical luta para que haja a constante manutenção da infraestrutura, com boas vias de circulação e iluminação, para que o campus seja totalmente seguro a qualquer hora do dia. Além disso, também é preciso oferecer espaços e atividades públicas constantes abertas a toda a população. A democratização dos espaços também é uma pauta de quem luta pela educação em uma perspectiva inclusiva e classista.

Fonte: ANDESUFSC

X