“Isso é um avanço para o Sindicato, porque amplia nosso campo de atuação política”, avalia Antonio Gonçalves, presidente do Sindicato Nacional

O 38º Congresso do ANDES-SN aprovou que o Sindicato Nacional participará de comitês em defesa da democracia incluindo “os que tenham como consigna ‘Lula Livre’”. A decisão foi tomada na tarde de quinta-feira (31), após intensos debates na Plenária do Tema 2 – Plano Geral de Lutas.

“Isso é um avanço para o Sindicato, porque amplia nosso campo de atuação política e explicita o esforço para a construção da unidade na luta”, avalia Antonio Gonçalves, presidente do ANDES-SN.

Antonio destaca que os trabalhos desenvolvidos ao longo desta quinta-feira foram muito positivos, sobretudo pela ampla participação da base da categoria. “O debate foi bastante aprofundado, com diversas intervenções e discussões na plenária”, avaliou.

O presidente do Sindicato Nacional ressalta que essa é uma das características dos congressos do ANDES-SN: “um espaço de pluralidade de pensamento e de livre expressão das ideias políticas. E sempre quem resolve são os delegados e delegadas de base, através do voto em plenário”, afirmou.

ANDES-SN irá defender Greve Geral na plenária das centrais sindicais

O 38º Congresso do ANDES-SN deliberou que o Sindicato Nacional participará da plenária das centrais sindicais no dia 20 de fevereiro e defenderá a necessidade da construção de uma Greve Geral. Essa foi uma das decisões tomadas na Plenária do Tema 2 – Plano Geral de Lutas, que iniciou na manhã de quinta (31).

O Sindicato Nacional também construirá, via secretarias regionais, plenárias estaduais como preparação para a plenária das centrais. A plenária é uma decisão das centrais para organizar a luta para derrotar a contrarreforma da previdência.

Política de Formação Sindical

A Plenária do Tema 2 teve início com a discussão dos Textos de Resolução (TRs) sobre Política de Formação Sindical. Foi aprovado que o ANDES-SN repasse para o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) a estrutura administrativa da CNESF e que priorizará a rearticulação da CNESF. O Sindicato Nacional continuará participando do Fonasefe como espaço de fórum que busca ações unitárias mais amplas.

Após o debate, foi definido que as seções sindicais com até duzentos filiados que demandem a realização de palestras e cursos na base terão despesas custeadas pelo caixa nacional. “Isso é muito importante para que a gente possa contribuir na estruturação das seções sindicais que têm muita dificuldade financeira. Foi um ânimo a mais para as pequenas seções sindicais”, avalia Antonio.

O ANDES-SN também organizará cursos descentralizados de formação com o tema “Da ANDES ao ANDES-SN: o movimento do movimento docente, contradições e desafios”. Também será realizada uma nova edição do Curso Nacional de Formação com o tema “Reorganização da classe trabalhadora e os desafios para o movimento docente”. A primeira etapa do curso, a ser realizada ainda neste semestre, será intitulada “Histórias do movimento docente: lutas por autonomia e liberdade, ontem e hoje”.

Outras deliberações foram a construção de uma cartilha sobre a história do ANDES-SN; a sistematização de debates e resoluções do Sindicato Nacional sobre multicampia; a intensificação da luta pela Lei 12990/14, das cotas no serviço público; a realização de um Seminário Internacional em Brasília (DF) com o tema “Universidade, Ciência e Classe em uma era de crises”.

A plenária também aprovou que o ANDES-SN dará continuidade à participação no Fórum Sindical, Popular e de Juventudes por Direitos e pelas Liberdades Democráticas, com a perspectiva de organização da classe.

Fonte: ANDES-SN