Foto: Helena de Freitas

No fim da tarde de ontem (16), a Andesufsc, a Associação de Pós-Graduandos da Universidade Federal de Santa Catarina (APG) e o Diretório Central dos Estudantes (DCE) promoveram o debate Todos perderemos com a Reforma da Previdência.

A atividade aconteceu no Centro Socioeconômico (CSE) da UFSC, com a presença do advogado Luis Fernando Silva, que atua em um escritório especializado na defesa dos direitos de servidores públicos, e do supervisor técnico do escritório regional do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE/SC), José Álvaro Cardoso.

Foto: Helena de Freitas

O debate teve um caráter esclarecedor sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019, que apresenta o projeto de mudanças no sistema previdenciário defendido pelo Governo Federal.

Além de discorrer sobre as principais alterações que serão impostas à classe trabalhadora caso a Reforma seja aprovada, o encontro também tocou em um ponto crucial para o futuro dos aposentados e pensionistas brasileiros: a falência do sistema de capitalização em outros locais do mundo.

Ao todo, 30 países adotaram o modelo no mundo, e todos tiveram experiências catastróficas. Em todos os locais em que o sistema foi aplicado, o alcance da cobertura da Previdência caiu, bem como o valor dos benefícios pagos à população, gerando o grave aprofundamento das desigualdades sociais.

Durante o debate, os participantes citaram o falido modelo chileno, que jogou milhões de aposentados na miséria e que é muito semelhante ao que está sendo proposto no Brasil.

“Foi um debate interessante para vermos claramente como a Reforma da Previdência apenas atende aos interesses do mercado financeiro, impondo ao país um modelo que não deu certo em lugar nenhum. Ficou claro que apoiar a PEC 6/2019 é apoiar o caos social no Brasil”, explicou a presidente da Andesufsc, Adriana D’agostini.

Fonte: Andesufsc