WhatsApp Image 2017-03-15 at 10.47.44As manifestações que ocorreram em Florianópolis, em 15 de março, levaram aproximadamente 15 mil pessoas às ruas da cidade. Pelo menos 13 categorias de trabalhadores aderiram à paralisação nacional, inclusive os docentes da UFSC. O protesto ocorreu em razão das reformas da Previdência e trabalhista, que tramitam no Congresso Nacional.

A data de mobilizações ficou conhecida em todo o país como Dia Nacional da Paralisação. O ato principal ocorreu por volta das 16h, quando os trabalhadores e os representantes de diversas entidades sindicais se uniram e iniciaram a caminhada pelo centro da cidade, com o grito de ordem “nenhum direito a menos”.

“Nunca vi tanta gente na rua, em Florianópolis! Pela primeira vez, vi muito docente da UFSC nas mobilizações”, avaliou a vice-presidente da ANDESUFSC, Astrid Baecker Avila.

A ANDESUFSC participou das mobilizações e definiu agenda de atividades, com o intuito de motivar a presença de mais docentes nos atos seguintes. Antes das paralisações no final da tarde, os docentes se reuniram para uma roda de conversa, com o tema como mobilizar na UFSC.

De acordo com Astrid, a reunião foi fundamental para definir as estratégias de luta. O encontro recebeu a participação de mais de 30 professores, com a presença de representantes dos docentes de seis centros da UFSC.

WhatsApp Image 2017-03-16 at 06.39.24Os professores estabeleceram que irão realizar visitas nos centros de ensino juntos com trabalhadores, entidades e os estudantes e produzir pequenos eventos. O objetivo é verificar se os docentes estão bem-informados sobre os principais aspectos da Reforma da Previdência. A próxima reunião será em 21 de março.

Os docentes também deliberaram por reativar a Comissão de Mobilização Unificada, que terá sua primeira reunião em 30 de março. A Comissão é formada por técnicos, estudantes e professores. Em 2016, muitas atividades foram resultado do trabalho conjunto.

Segundo a presidente da ANDESUFSC, Célia Vendramini, a participação dos professores nas mobilizações foi bastante significativa. O desafio que vem pela frente é, justamente, mobilizar toda a universidade. Para que isso seja possível, a seção sindical está participando do Fórum de Lutas em Defesa dos Direitos, com o intuito de realizar atividades em conjunto com outras categorias de trabalhadores.

Fonte: ANDESUFSC