A ocupação da reitoria do campus Chapecó da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) completa nesta sexta-feira, 6, uma semana. Cerca de 300 alunos mantêm a ocupação contra a nomeação do reitor Marcelo Recktenvald, terceiro colocado na lista tríplice.

O processo de escolha da composição da lista tríplice para reitoria da universidade – o segundo na história da instituição – teve o primeiro turno realizado em 29 de abril deste ano. O processo de consulta prévia contou com quatro capas inscritas e participação de mais de 6 mil pessoas. Marcelo Recktenvald teve apenas cerca de 21% do total de votos, ficando em terceiro lugar, e nem chegou a participar do segundo turno do processo, realizado em 28 de maio, onde o professor Anderson Ribeiro venceu em primeiro lugar com 54%; e Antônio Andriole foi o segundo colocado com 45% dos votos válidos.

A nomeação é repudiada pelos estudantes por ferir a autonomia e a democracia acadêmica. Os alunos da UFFS, também, se manifestam contrários à proposta do MEC que submete as universidades ao controle de organizações sociais (OS), financiadas por um fundo a ser criado, o chamado Future-se.

A equipe de transição da reitoria entrou com pedido de reintegração de posse do prédio onde se localiza a reitoria. Segundo nota da instituição, o processo está sendo encaminhando pela Procuradoria Federal.

A UFFS tem seis campi no Sul do Brasil. Além de Chapecó e Cerro Largo, a instituição está presente em Erechim e Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, e em Realeza e Laranjeiras do Sul, no Paraná. Ao todo são mais de 8.6 mil estudantes matriculados, divididos em 44 cursos de graduação, 15 mestrados e dois doutorados.

Fonte: ANDES-SN